Movimento Body Positive: Libertando-se do Padrão

Atualizado: 10 de jul. de 2021

Body Positive, libertação de movimentos estéticos e os benefícios da autoaceitação.


Em algum momento de sua vida, você já se sentiu mal ao se comparar a uma foto de revista? Sentiu estar feia, gorda, baixa, alta, escura ou diferente demais para ser considerada bonita? Então você precisa conhecer os Movimentos que vão contra tudo isso: o Body Positive e o Body Neutrality.


Com o intuito de abraçar a diversidade corporal presente no mundo e incentivar uma visão positiva acerca do próprio corpo, o Movimento Body Positive vem ganhando força no Brasil e em outras partes do mundo, como nos Estados Unidos, onde surgiu.


Já o Body Neutrality teve origem a partir do Body Positive e pretende apoiar uma imagem neutra acerca do próprio corpo, propondo que não nos obriguemos a ficar nos extremos. Não é preciso amar o seu corpo o tempo todo, mas tampouco odiá-lo.


Este sentimento de insatisfação com o corpo é reflexo de como a sociedade tem se comportado ao longo dos anos, suas crenças, julgamentos e ideais. E a indústria da moda e da beleza, também influencia muito suas consumidoras e consumidores. Toda esta cadeia leva muitas pessoas aos temidos distúrbios alimentares, inclusive.


Segundo Joana Novaes, psicanalista e Coordenadora do Núcleo de Doenças da Beleza do Laboratório Interdisciplinar de Pesquisa e Intervenção Social (LIPIS), da PUC - Rio, os movimentos de autoaceitação têm efeito assertivo, e o impacto de um ato político, prática de resistência e estão dentro de um contexto mais amplo da quarta onda feminista.

O corpo pode ser o pior algoz e o melhor companheiro, então interfere diretamente nas relações interpessoais, gerando um ensimesmamento, um isolamento. É um dano enorme ao psiquismo”, diz a psicanalista. Assim, o Body Positive representa a ascensão do amor próprio, do respeito por si e pelos demais, da aceitação de quem somos, sem nos prendermos apenas à forma do corpo.


Mas precisamos lembrar que a aparência ainda é supervalorizada na sociedade de culto ao corpo em que estamos inseridos. Por isso, uma não aceitação de si pode causar prejuízos no universo profissional, amoroso e das amizades. A fisioterapeuta e instagramer Renata Daes, em conversa com a nossa equipe, disse que o processo de aceitação é libertador e o Movimento Body Positive traz para todo mundo a visão de que cada um é bonito do seu jeito.

"Eu aprendi que você não precisa se aceitar. Na verdade, você precisa se respeitar. Respeitar a sua essência, aquilo que você é.
(...) A gente tem que parar de fingir que o padrão é normal. Não, o normal é ser você mesmo, e você estar bem com aquilo. Isso é o normal."

@coisasdeumaplus - Renata Daes

Joana Novaes explica ainda que questões relacionadas à dismorfia corporal e transtornos alimentares são problemas de saúde pública, devem ser encarados com seriedade e ressalta: “A gente não pode esquecer que aceitar o próprio corpo, a própria aparência, é uma afirmação identitária. A sua concepção de quem você é se dá através do corpo. A identidade é incorporada através da imagem no espelho”.

E aí? Se convenceu de que os movimentos de autoaceitação podem ser positivos na sua vida? Faça então o exercício de se olhar no espelho e enxergar o seu corpo com mais carinho. Ao invés de procurar defeitos, que tal observar cada detalhe que te faz única? É ótimo cuidar de si, mas sem se limitar a padrões estéticos pré-estabelecidos. Não é preciso mudar o seu corpo para que enxerguem a pessoa que você realmente é. Confiar no seu potencial também faz parte do autocuidado.

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo