Câncer de Mama e Colo de Útero Merecem Atenção o Ano Inteiro

Diagnóstico precoce e prevenção podem levar à uma maior chance de cura e tratamento


Câncer. Um diagnóstico difícil, que muitas vezes assusta, causa inseguranças, reflexões, medo, um turbilhão de emoções. Até pouco tempo, não se dizia nem o nome fora do consultório, por aí ouvia-se “aquela doença”. Com a ampliação do acesso à informação, aos poucos as pessoas foram se familiarizando com o significado do termo, as consequências do crescimento desordenado de determinadas células e a importância da prevenção aliada ao diagnóstico precoce.


Segundo dados do INCA, Instituto Nacional do Câncer, em 2020, foram registrados 66.280 novos casos de câncer de mama em mulheres. Destes casos, o risco maior de desenvolver a doença está entre os indivíduos acima dos 50 anos de idade, em decorrência das alterações biológicas causadas pelo envelhecimento. A sanitarista Mônica de Assis, da Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização de Rede do INCA, em resposta ao PTDE, destaca que quatro em cada cinco casos acontecem nesta faixa etária, mas que estudos recentes apontam para um crescimento progressivo da letalidade e incidência após os 40 anos.


Ainda assim, tanto o câncer de mama quanto o câncer de colo de útero, podem aparecer em outras faixas etárias, por isso, recomenda-se a visita anual a um ginecologista desde a menarca (primeira menstruação), podendo contar ou não com o pedido de imagens e encaminhamento para um mastologista. No caso do colo de útero, o profissional de ginecologia poderá solicitar um exame preventivo, o papanicolau.


As campanhas do mês de outubro, são imprescindíveis para conscientizar e orientar a população, porém, assuntos como estes devem ser abordados e investigados durante o ano inteiro, já que o cuidado e diagnóstico precoce conduzem à uma maior chance de sucesso no tratamento.


 

Como realizar o autoexame?


“(...) A orientação é que a mulher observe e palpe suas mamas sempre que se sentir confortável para tal (seja no banho, no momento da troca de roupa ou em outra situação do cotidiano), sem necessidade de aprender uma técnica de autoexame ou de seguir uma periodicidade regular e fixa”, diz Mônica de Assis.


O que observar no próprio corpo?


O surgimento de caroços ou alterações nas mamas.


 

O Portal Oncoguia traz depoimentos sobre a experiência com os diversos tipos de câncer, na seção “Espaço do Paciente”, que podem ser lidos e compartilhados, fortalecendo a rede de apoio entre as pessoas que estão passando direta ou indiretamente pelo diagnóstico. Os relatos são importantes para mergulhar neste contexto e ver como as pessoas lidaram com situações adversas, mas vale lembrar que a experiência de cada um é única, não se deixe impressionar.


11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo